quinta-feira, 16 de agosto de 2018

Para DESCOBRIR: # GASTRONOMIA MARANHENSE: Influências árabe



Olá pessoas queridas!

O Estado do Maranhão 
em sua história possui uma das culinárias mais ricas em sabores, aromas e cores. Esse resultado é reflexo da gastronomia brasileira que, entre outros fatores, é a consequência da fusão aculturada de hábitos alimentares de diferentes grupos como o índio, o negro, o português, o francês, os árabes e os nordestinos. 
Diante dessa originalidade, convidamos você conhecer um pouco mais sobre a gastronomia maranhense com a influência árabe.


 Boa leitura! 


Segundo Maranhão (2012) os árabes apresentam duas maneiras diferentes de influências: uma que é milenar, que vem de quando os árabes entraram na Península Ibérica. Segundo o autor, eles tinham uma grande capacidade de absorção dos melhores costumes dos lugares por onde passavam e dominavam.

Dessa forma, de uma culinária basicamente simples, eles incorporaram a riquíssima culinária persa, logo no início da expansão muçulmana, depois as culinárias do Egito e do norte da África, e chegaram à Península Ibérica com esse cabedal.



Imagem 1 - culinária persa. Linguado à moda mediterrânea


 Os portugueses encontraram essa culinária e trouxeram as comidas que haviam sofrido influência dos romanos com seus temperos e aromas. Assim, é uma influência árabe antiga que vem via Portugal. Além dessa, tem a influência do imigrante árabe, no final do século XIX, que é essa do quibe e da esfirra. 

Sob esse aspecto, Lima (2012) afirma que “antes mesmo dos primeiros árabes chegarem ao Brasil, já recebíamos influências deles não só através dos portugueses, que tiveram seu território sob ocupação moura durante oito séculos, como por intermédio dos negros de religião mulçumana”.



Imagem 2 - quibe e esfirra


A influência gastronômica que os árabes trouxeram foi no Brasil inteiro e isso se deve ao fato de que o árabe tem muita facilidade de comunicação, entre outros fatores, por ser um bom comerciante.

Sobre a influência dessa etnia para a gastronomia maranhense, Lima (2012) afirma que entre os estrangeiros que passaram pelo Maranhão somente os árabes ficaram conosco e integraram-se ao nosso cotidiano. Os pratos árabes foram incorporados à nossa cozinha: quibe cru ou frito, charuto, esfirra e tabule.



Imagem 3 - charuto



Os árabes chegaram ao Norte e ao Maranhão por volta da segunda metade do século XIX e essa corrente se acentuou no Estado a partir de 1921. Atualmente, ainda está presente descendentes de famílias tradicionais que se arraigaram em alguns municípios do Maranhão como Rosário, Coroatá, Codó, Turiaçu, entre outros, cujos descendentes formam famílias importantes na sociedade.


Se você gostou dessa postagem, deixe seu comentário abaixo, compartilhe com seus amigos e  inscreva-se aqui, pois assim você receberá notificações de novas postagens. Até a próxima.
Abraço, 
                                                                                                                        


                                                                                                                           Jeiane Costa.
e-mail: jeianecosta.novel@outlook.com
Instagram: meioaspalavras
Twitter: https://twitter.com/Meioaspalavras


www.portalolhardinamico.com.br


Você também pode gostar de ler:






Créditos especiais:

MARANHÃO, Ricardo. Árabes no Brasil-história e Sabor. Editora Gaia Global,2012

LIMA, Zelinda Machado de Castro. Pecados da gula: comeres e beberes das gentes do Maranhão. 2 ed. Amp. – São Luis: instituto Geia, 2012

Ilustração: Jeiane Costa
Imagem 1- Disponível em:<https://priscilamedeiros.wordpress.com/category/culinaria-persa/>.acesso 16 ago 2018
imagem 2 - Diponivel em:<http://www.esfihajuventus.com.br/> acesso em 16 ago 2018
Imagem 3 - Disponível em:<http://www.imagens.usp.br/?p=23500> acesso 16 ago 2018

terça-feira, 14 de agosto de 2018

Para LER e CONHECER: # A Formação histórica da Língua Portuguesa


Olá pessoas queridas!

Você sabe como surgiu a nossa amada lígua portuguesa? Aqui contamos um pouco sobre a formação histórica desse idioma, hoje falado por oito países: Brasil, Portugal, Cabo Verde, Angola, São Tomé e Príncipe, Guiné-Bissau, Moçambique e Timor Leste. 

Boa leitura!


Imagem 1 - países que falam português



O português surgiu do latim, língua derivada de um grupo denominado indo-europeu. FURLAN (2006) explica que desse antigo tronco derivou a maior parte das línguas faladas na Europa e grande parte das faladas na Ásia.


Tribos nômades do leste da Europa, falantes do indo-europeu, migraram para o oeste e para o sul, por volta de 3000 a.C. e, posteriormente, uma parte dessas tribos migrou para o centro da atual Itália, passando a falar Itálico. Dele, originou-se quatro línguas, à saber: osco, úmbrio, falisco e o latim.


Inicialmente, a língua latina era a forma de expressão de um povo rústico, empreendedor e guerreiro. Todavia, ele foi se adaptando aos poucos, passando a ser também uma forma de expressão para à literatura e à erudição, principalmente após a grande influência que recebera da cultura grega.



Imagem 2 - Império romano


O povo Lácio que ficavam na região central da Itália, na qual, foi fundada Roma em 753 a.C. assumiu uma postura expansionista. Durante esse processo, os romanos, à medida que expandiam o território, faziam com que os nativos passassem a utilizar o latim.


Nesse período, o latim apresentava algumas variantes: o latim popular, corrente ou vulgar, entendido como o latim falado pela população; o latim literário, aquele utilizado em documentos escritos; e o latim clássico, utilizado nas produções artístico-estético-literárias. Os soldados romanos, por sua vez, utilizavam o latim vulgar, a maioria não dominavam a escrita, e portanto, era essa variante que se estabelecia nos territórios conquistados.


Outro fator interessante que naturalmente ocorreu durante esse processo de expansão romana é que cada lugar conquistado desenvolveu uma forma de falar o latim, devido à mistura de dois ou mais falares para que se desse a comunicação. Sem a cobrança do falar correto do latim, teve-se como origem aos falares neolatinos, conhecidos como romances e romanços.



Imagem 3 - a origem da língua portuguesa


Depois houve o contato do latim já transformado com as línguas germânicas. Em seguida, com a invasão mulçumana, esse latim entrou em contato com os árabes. CUNHA e CINTRA (2008) afirmam que os árabes, como fomentadores das Ciências e das Artes, contribuíram com vocabulários que representavam os novos conhecimentos trazidos. Para os citados autores, a estimativa é de que 400 a 1000 termos de nossa língua tenham origem no idioma árabe, como, por exemplo, alface, berinjela, cifra, quintal, também, etc.


Os romances tomaram uma feição específica no oeste da península, formando o galego-português. Os primeiros escritos em galego-português surgiram quando Portugal já havia se constituído como reino autônomo e seu território praticamente todo reconquistado. O reino foi expandindo para o sul, retomando terras que estavam nas mãos dos Mouros (árabes).


Assim, com o surgimento dos primeiros textos redigidos em galego-português no século XIII, iniciou-se de fato a língua portuguesa, que passou por diversas mudanças no período da Idade Média. Ela foi transportada no período das grandes navegações (final do século XV e do século XVI) para os continentes africano, asiático e para a América do Sul.  





Atualmente, o português é um dos dez idiomas mais falados no mundo. Estima-se que haja aproximadamente duzentos milhões de falantes de português no mundo.


Se você gostou dessa postagem, deixe seu comentário abaixo e  inscreva-se aqui, pois assim você receberá notificações de novas postagens. Até a próxima.

Abraço, 
                                                                                                                        
                                                                                                                           Jeiane Costa.
e-mail: jeianecosta.novel@outlook.com
Instagram: meioaspalavras
Twitter: https://twitter.com/Meioaspalavras



www.portalolhardinamico.com.br









Você também pode gostar de ler:

Créditos especiais:
OLIVEIRA, Iara de. LETRAS EM FOCO UNIASSELVI 2016. Propriedade do Centro Universitário Leonardo da Vinci.

Guimarães, Eduardo. A LÍNGUA PORTUGUESA NO BRASIL. Cienc. Cult. vol.57 no.2 São Paulo Apr./June 2005. Disponível em:< http://cienciaecultura.bvs.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0009-67252005000200015>. Acesso 13 ago 2018

Imagem 1 - Disponível em:<https://www.superprof.com.br/blog/viajar-no-brasil-ou-portugal/> acesso 14 ago 2018
Imagem 2 - Disponível em:<https://www.coladaweb.com/historia/imperio-romano> acesso 14 ago 2018
Imagem 3 - Disponível em: <http://lumeear.blogspot.com/2013/10/a-origem-da-lingua-portuguesa.html>acesso 14 ago 2018
Imagem 4 - Disponível em:<https://rioandlearn.com/pt-br/paises-que-falam-portugues-no-mundo/> cesso 14 ago 2018


segunda-feira, 13 de agosto de 2018

Para LER e DESENVOLVER: # The lucky word power book - Dicas de inglês PARTE III





Olá pessoas queridas!

Devido a importância que há no processo de aprendizagem de idiomas, em especial o inglês, hoje trago a continuação da dica de um livro que ganhei alguns anos atrás e me ajudou (e continua ajudando) nessa jornada.


Se você ainda não viu a primeira postagem, clique Aqui. Para ler a segunda postagem, clique Aqui.


# Começo e finais de palavras

O prefixo é a parte de uma palavra que é unido ao começo de outra palavra ou parte de uma palavra. Veja os exemplos à seguir:



PREFIXO
SIGNIFICADO
EXEMPLOS
ANTI-
Contra
Antifreeze, antislavery
ASTRO-
Das estrelas
Astronaut
AUTO-
Próprio
Autograph
BENE-
Bom, bem
Benefit
BI-
Dois
Bicycle, binoculars
BIO-
Vida
Biography, biology
CENT-
Cem
Centípede, century
CO-
Junto
Cooperate, copilot
COM-
COM-
Junto,
Com
Combine, contact, converse
DE-
Remover
Decode, destruction
DECI-
Dez, décimo
Decibel, decimal
DIS-
Não, faça o oposto
Disagree, disappear, discover
ECO-
Do ambiente
Ecology, ecosystem
EX-
Fora de, a partir de
Excavate, exhale
EXTRA-
Lado de fora
extraterrestrial
GEO-
Terra
Geography, geology
GIGA-
Um bilhão
gigabyte
HEMI-
Metade
hemisphere
HOMO-
Mesmo
Homogenize, homonym
IL-
IM-
IN-
IR-
Não
Ilegal, inmature,
Inconsiderate,
irresponsible
INTER-
Entre
Internet, interstate
INTRO-
Para dentro
introduce
MICRO-
Muito pequeno
microscope
MILLI-
Mil
Millimeter, millipede
MIS-
De maneira ruim, erroneamente
misbehave
MULTI-
Muito
Multicultural
NON-
Não
Nonfiction, nonsense
OCTA-
OCTO-
Oito
Octagon, octopus
OMNI-
Tudo
Omnivore
PED-
Pé, pés
Pedal, pedestrian
POLY-
Muito
Polygon
POST-
Depois
Postpone, postscript
PRE-
Antes
Prefix, prehistoric
QUAD-
Quatro
Quadruped
RE-
De novo, retrógrado
Rebuild, recycle
SEMI-
Meio, parte
Semianual, semicircle
SUB-
Debaixo
Submarine
SUPER-
Através, além
supervisor
TELE-
Distante
Telephone, telescope
TRANS-
Através
Transcontinental, transport
TRI-
Três
Triangle, tricycle
ULTRA-
Muito, extremamente
Ultralight, ultrasound
UN-
Não
Unfair, unsafe
UNI-
Um
unicycle



O sufixo é a parte da palavra que é unida ao final de outra palavra ou parte da palavra. É muito comum que os sufixos mudem o significado original da palavra. Por exemplo, adicionando “ed” ao verbo walk, transformando-o em walked, irá indicar que a ação aconteceu no passado. Acompanhe a lista de sufixos, a seguir:



SUFIXO
SIGNIFICADO
EXEMPLOS
-ED
No passado
Splashed, walked
-ER,
-OR
Uma pessoa que faz algo
Loser, worker,
Inventor, sailor
-ER
Mais/maior
Greener, smaller
-EST
mais
Greenest, smallest
-ING
Continuando a acontecer
Splashing, walking
-LY
Colocação de um adjetivo dentro de um advérbio
Carefully, happily,
Peacefully,softly
-NESS
Colocação de um adjetivo dentro de um substantivo
Hapiness, peacefully, softness
-OLOGY
O estudo de
Biology, geology
-S, -ES
Mais que um
Boots, classes
-S. -ES
No presente
Splashes, walks
-Y
Possui a qualidade de
Salty, smelly, windy

 Se você gostou dessa postagem, deixe seu comentário abaixo e  inscreva-se aqui, pois assim você receberá notificações de novas postagens. Até a próxima.

Abraço, 
                                                                                                                        
                                                                                                                           Jeiane Costa.
e-mail: jeianecosta.novel@outlook.com
Instagram: meioaspalavras
Twitter: https://twitter.com/Meioaspalavras

www.portalolhardinamico.com.br







Você também pode gostar de ler:

Créditos especiais
BOLLARD,John K. The Lucky word power book: finding & using them well: 2012.




Para DESCOBRIR: # GASTRONOMIA MARANHENSE: Influências árabe

O lá pessoas queridas! O Estado do Maranhão  em sua história  possui uma das culinárias mais ricas em sabores, aromas e cores. Esse res...